quinta-feira, 16 de maio de 2019

Atividade de História 1º Terma A e B


1. Com base nas informações e no mapa do capítulo, explique onde se localizava e que povos habitavam a Mesopotâmia.
2. As primeiras cidades da Mesopotâmia formaram-se por volta de 4000 a.C. Por que os historiadores costumam chamá-las de “cidades-estados”?
3. Os sumérios foram os primeiros povos a se estabelecer no extremo sul da Mesopotâmia, por volta de 4000 a.C. Com os conhecimentos que você já tem, escreva um texto relatando como essa sociedade se desenvolveu.
4. Que tipo de organização política substituiu as cidades-estados na região mesopotâmica?
5. A Mesopotâmia foi dominada por diversos povos durante a Antiguidade. Reproduza no seu caderno a tabela a seguir, ampliando o número de linhas. Depois, preencha as colunas, indicando os principais povos que dominaram a região. Registre também suas principais características e o período de dominação.





1. a área aproximada da Mesopotâmia e as fronteiras entre os países que hoje ocupam essa área. Se necessário, pode-se também localizar a região num mapa-múndi, para que os alunos tenham noções espaciais mais definidas. O território da Mesopotâmia localiza-se entre os rios Tigre e Eufrates, onde hoje se encontram o Iraque, o Kuwait, a Síria e o sul da Turquia, no Oriente Médio. Embora fosse uma região desértica, com elevadas temperaturas, em torno dos rios formou-se uma planície com terras férteis e propícias à agricultura. Nessa região, há milhares de anos, estabeleceram-
se diversos povos, como os sumérios, acadianos, hititas, babilônicos, assírios e caldeus.

2. Elas são chamadas de cidades-Estado porque tinham autonomia, ou seja, não estavam submetidas a um Estado mais amplo e centralizado. Em cada uma delas, havia um soberano com poder político, religioso e militar, cuja influência se restringia aos limites da cidade. Esse soberano não estava submetido a nenhuma autoridade acima dele.

3. Os sumérios ocuparam a região graças, provavelmente, à existência de solos férteis em torno das margens dos rios Eufrates e Tigre. No entanto, as cheias desses rios provocavam grande prejuízo; por isso, foi preciso construir diques e canais para controlar as inundações e ainda irrigar as terras cultiváveis. Com o passar dos séculos, a população aumentou e surgiram novas atividades profissionais (como as de pastor, marceneiro, cesteiro, etc.). Foi preciso também constituir um corpo de funcionários públicos responsável pelo controle e administração dos trabalhos. Esses funcionários criaram as primeiras formas de escrita, pois precisavam registrar as atividades que se realizavam na cidade.


4. Por volta de 2350 a.C., as diversas cidades autônomas da
região foram unificadas em torno de um único líder político
e religioso. Essa mudança deu origem ao Primeiro Império
Mesopotâmico, que unificou as leis, o idioma e a política
de várias cidades. Sob a liderança do rei Sargão, o Império
substituiu a autonomia das cidades-Estado.


5.

8500 a.C.
 Sumérios
Habitavam a região do extremo sul, praticavam a agricultura,
tinham vida urbana e atividades administrativas com
funcionários públicos. Criaram a escrita cuneiforme. Atribui-
-se aos sumérios a invenção do calendário formado por meses
lunares de 28 dias, o mais antigo sistema numérico da História,
o vidro e a roda. 

2350 a.C. a - 2100 a.C.
Império Mesopotâmico
No III milênio a.C., o rei Sargão unificou diversas cidades
do centro e do sul, formando o Primeiro Império Mesopotâmico.
Por volta de 2100 a.C., enfraquecido por lutas internas,
esse império foi destruídopor povos inimigos. 

1800 a.C. 1600 a.C.
Primeiro Império Babilônico

A cidade da Babilônia, habitada pelos amoritas, tornou-se o centro do Primeiro Império Babilônico, sob a liderança do rei Hamurabi (1792-1750 a.C.). Hamurabi nomeou governadores, unificou a língua e a religião e elaborou um dos primeiros conjuntos de leis escritas, o Código de Hamurabi.

1600 a.C. - 1200 a.C.
Hititas
Domínio territorial e político dos hititas (originários da Anatólia, atual Turquia). Eles introduziram o uso do ferro no fabrico de armas e desenvolveram carros de guerra com rodas de aro.

1200 a.C. 612 a.C.
Império Assírio

Originários do norte da Mesopotâmia, os assírios dominaram
os hititas e constituíram um novo império. Foram o primeiro povo a organizar um exército disciplinado.

612 a.C. 539 a.C.
Segundo Império Babilônico

Os babilônicos destruíram a capital assíria, Nínive, e criaram
o Segundo Império Babilônico. O rei Nabucodonosor
(604-562 a.C.) expandiu asfronteiras do império e conquistou
Jerusalém.

539 a.C. Persas
O Segundo Império Babilônico
chegou ao fim quando a região foi conquistada pelos
persas.


6. A invenção da escrita foi resultado das necessidades práticas
de registro de certas atividades sociais. Nos palácios e templos eram armazenados produtos agrícolas para o pagamento 
de tributos ou para oferendas religiosas. Para registrar corretamente a quantidade e o tipo desses produtos, os sumérios anotavam em placas de argila úmidas a entrada de cada item: bois, porcos, cereais, etc. Essas placas eram marcadas com hastes de bambu e precisavam permanecer no sol até secar e endurecer. Cerca de quinhentos anos depois, os sumérios criaram um tipo de marcação em forma de cunha (daí a palavra cuneiforme) feita com estilete
na argila úmida. Essas marcas foram se tornando cada
vez mais abstratas até que passaram a representar sílabas e
não mais animais ou produtos agrícolas.


7. O Código de Hamurabi é considerado um dos primeiros conjuntos de leis da história das sociedades humanas. Foi criado pelo rei do Primeiro Império Babilônico, Hamurabi, que
ordenou a unificação e o registro escrito de todas as leis e
sentenças pronunciadas no império.




sábado, 23 de fevereiro de 2019

Organizando Ideias (9 C e D) - Iracema


segue as respostas da atividade 

Questão - 1. Em meados do século XVIII, a Revolução Industrial inglesa inaugurava um novo tipo de sociedade, baseada no capitalismo industrial pautado no trabalho assalariado, na fábrica mecanizada e na livre concorrência. Naquele momento, a principal fonte de energia era o carvão e as matérias-primas fundamentais eram o ferro (para as máquinas e ferrovias), além do algodão e da lã, que supriam as grandes tecelagens movidas a vapor. Na segunda metade do século XIX, o aperfeiçoamento da fabricação do aço e, posteriormente, a descoberta do petróleo e o uso industrial da energia elétrica provocaram transformações significativas no processo de produção industrial. Essas mudanças, conhecidas como Segunda Revolução Industrial, reforçaram uma tendência anterior: a concentração de capitais e a formação de empresas cada vez maiores. A este novo tipo de economia, chamou-se de “capitalismo monopolista”, em oposição ao “capitalismo competitivo” da fase anterior.

Questão - 2. A concentração de capitais nas grandes empresas provocou a necessidade de investimentos em outros continentes, como a África, a Ásia e a América Latina. Também foi necessário ampliar o controle de fontes de matérias-primas (carvão, ferro, petróleo) e de merca dos consumidores para os produtos industrializados. As potências europeias tinham ainda interesse geopolítico na formação de impérios coloniais, por isso, observou-se uma associação de interesses entre o capital monopolista e os Estados nacionais europeus. Essa associação produziu um novo tipo de imperialismo, isto é, uma expansão econômica e militar promovida pelas nações industrializadas da Europa e, posteriormente, pelos Estados Unidos.

Questão - 3. A teoria da evolução defendida por Darwin explicava o surgimento e o desenvolvimento das espécies na Terra. Segundo Darwin, a seleção natural garantia a sobrevivência e a adaptação das espécies diante dos obstáculos da natureza, pois os seres vivos transmitiam a seus descendentes as características que ampliavam as chances de sobrevivência de sua espécie. A partir do século XIX, alguns cientistas procuraram aplicar as ideias evolucionistas para explicar as diferenças entre as sociedades humanas. Segundo esses pensadores, a humanidade era dividida em raças, sendo que algumas delas eram mais evoluídas e adaptadas que outras, cujo destino seria desaparecer do planeta. Porém Darwin não se referia aos humanos ao formular sua teoria, e sim ao conjunto dos seres vivos. No século XX, diversos autores e correntes de pensamento criticaram profundamente essa visão. Em 2003, os resultados do Projeto Genoma concluíram que não há “raças” humanas, mas apenas uma única espécie, cujas variações genéticas não chegam a 1%. Assim, pode-se comprovar cientificamente que as diferenças físicas e culturais entre os grupos humanos não eram consequência de uma suposta evolução distinta entre raças, mas era resultado de processos histórico-sociais distintos e da adaptação do ser humano aos diferentes ambientes.

Questão - 4. Os objetivos declarados do monarca belga eram promover ações humanitárias e científicas na bacia do rio Congo. Esse tipo de finalidade se justificava pela noção de “missão civilizadora” que sustentava a necessidade de levar aos “povos bárbaros” ou “primitivos” os valores da civilização ocidental e cristã. No entanto, os objetivos reais das medidas do rei Leopoldo II eram conquistar uma vasta região rica em minérios e subjugar a população do Congo ao domínio belga. Esses objetivos nunca eram declarados publicamente e todo o processo de dominação e controle dos continentes africano e asiático contou com justificativas humanitárias baseadas numa hipotética superioridade da civilização branca e europeia.

Questão - 5. A Conferência procurou evitar conflitos entre as potências europeias, dividindo o continente africano segundo áreas de interesse e dominação das nações europeias. Na prática, a Conferência retalhou todo o continente, com exceção de três regiões que permaneceram independentes (uma parte do Marrocos, a Etiópia e a Libéria). As fronteiras foram criadas por acordos diplomáticos e não levaram em conta as divisões étnicas e culturais dos povos do continente. Por isso, diversos conflitos regionais eclodiram desde o fim do século XIX. Esses conflitos se acirraram ainda mais no século XX, com o processo de independência das ex-colônias africanas.

Questão - 6. A conquista da Índia começou no final do século XVI, com a criação da Companhia das Índias Orientais, destinada a estabelecer uma atividade comercial sistemática com a Índia e  o Sudeste asiático. A partir de então, os ingleses instalaram feitorias em diversas cidades do subcontinente indiano (Madras, Bombaim, Calcutá, etc.). Assim, o território indiano foi pouco a pouco colocado na área de influência dos ingleses.
No início do século XIX, embora o imperador mongol fosse o governante nominal da Índia, o país era de fato um protetorado da Inglaterra. Em 1876, a Índia tornou-se oficialmente parte do Império Britânico, com a coroação da rainha Vitória.
A presença britânica afetou profundamente a cultura local, destruindo a tradicional economia indiana, especialmente, as manufaturas de algodão. Este longo processo de dominação estimulou o ódio dos indianos pelos britânicos, provocando rebeliões como a Revolta dos Cipaios, em 1857.

Questão - 7. Em 1839, a China destruiu carregamentos de ópio contrabandeados  por navios ingleses em portos chineses. A medida foi interpretada pela Inglaterra como uma violação às leis do livre-comércio, e o país declarou guerra à China. O conflito deu início à Guerra do Ópio (1838-1842), vencida pelos ingleses, que exigiram a abertura de portos chineses  aos produtos britânicos e a entrega da ilha de Hong Kong. Novos conflitos de 1856 e 1858 (Segunda Guerra do Ópio) impuseram novas derrotas chinesas e ampliaram ainda mais o poder britânico e francês sobre a região, graças ao pagamento de vultosas indenizações pelos chineses e a abertura de novos portos ao comércio internacional.

domingo, 3 de fevereiro de 2019

Ano novo começando



BEM VINDOS ALUNOS




EE MARIA IRACEMA MUNHOZ


EE JOSÉ JORGE DO AMARAL


EE YVONE FRUTUOSO PRODOSSIMO



"Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua própria produção ou sua construção.

(Paulo Freire, mensagem de boas vindas para professores)

Que tenhamos um excelente ano
Professor Alan Aparecido Gonçalves

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

ATIVIDADE ON LINE 4º BIMESTRE 2º C

OLÁ CARISSIMOS ALUNOS DA 
EE JOÃO RAMALHO
FILOSOFIA

SEGUE ABAIXO O LINK DA PROPOSTA DA 
ATIVIDADE ONLINE

AS RESPOSTAS ESTÃO NO CADERNO DO ALUNO
VOLUME 2 - RESPONDER  E AO FINAL ENVIAR.



PERÍODO 
15 DE OUTUBRO
À
30 DE OUTUBRO


ATIVIDADE - 2º C

ENCERRADO 

terça-feira, 14 de agosto de 2018

ATIVIDADE ON LINE 2º ANO C [º BIMESTRE] - 1 PONTO

OLÁ CARISSIMOS 
ALUNOS DA 
EE JOÃO RAMALHO


SEGUE ABAIXO O LINK DA PROPOSTA DA 
ATIVIDADE ONLINE 2ª CHAMADA

RESPOSTAS SERÃO ACEITAS ATÉ AS 
13:00 DO DIA 27/09/2018]

AS RESPOSTAS ESTÃO NO CADERNO DO ALUNO
VOLUME 2 - RESPONDER  E AO FINAL ENVIAR.


ATIVIDADE ON LINE I 
3º BIMESTRE 2º C 

[período encerrado]


ATIVIDADE ON LINE II 
3º BIMESTRE 2º C 

[período encerrado]




quarta-feira, 25 de outubro de 2017

ATIVIDADE ONLINE - FAUSTO

OLÁ CARISSIMOS ALUNOS DA 
EE FAUSTO

SEGUE ABAIXO O LINK DA PROPOSTA DA 
ATIVIDADE ONLINE

AS RESPOSTAS ESTÃO NO CADERNO DO ALUNO
VOLUME 2 - RESPONDER  E AO FINAL ENVIAR.


ATIVIDADE - 2º B [PERÍODO ENCERRADO]
ATIVIDADE - 2º C [PERÍODO ENCERRADO]
ATIVIDADE - 3º A [PERÍODO ENCERRADO]
ATIVIDADE - 3º C [PERÍODO ENCERRADO]
ATIVIDADE - 3º F [PERÍODO ENCERRADO]



PROFº ALAN APARECIDO GONÇALVES